A Associação de Advogados de Imigração (AILA) dos Estados Unidos exigiu do Congresso uma avaliação do sistema imigratório vigente e que aprove mudanças que não somente melhorem a segurança nacional, mas que também “abram as vias legais para a imigração baseada na família ou negócios”.

Postura Crítica - A entidade, que abriga cerca de 7 mil advogados em todo país, mantém uma crítica permanente à atual lei de imigração, que foi refoemuladoa pelo Congresso em 1996. “Ela não cobre as necessidades de segurança nacional, nem econômicas, e tampouco reúne adequadamente os familiares próximos de cidadãos e residentes permanentes nos Estados Unidos”, argumenta a associação.

A AILA estima que uma “boa reforma” deve incluir um merecido ajuste de status às pessoas que vivem, trabalham e contribuem para os Estados Unidos, e uma redução no tempo de espera nos trâmites imigratórios.

Quanto às propostas apresentadas em janeiro, uma delas pelo presidente George W. Bush, que sugeriu outorgas vistos temporários a trabalhadores indocumentados por um período de até seis anos, a AILA disse que elas “não oferecem a solução que traria uma reforma integral na lei vigente”.

A associação de advogados afirma que o sistema de imigração americano “não reflete a realidade”, e explica que empresários de vários setores, tais como os de construção e saúde, “não podem contratar trabalhadores e têm em seus empregados mais valiosos uma carência de documentos para trabalhar no país”.

A associação lembrou ainda que diversos e esforçados trabalhadores e contribuintes que participam da economia do país “não contam com as vias legais para obter a devida documentação e se vêem obrigados a viver na clandestinidade”.

Relatórios do Escritório de Cidadania e Serviços de Imigração (USCIS) estima que vivem nos EUA entre 5 e 7 milhões de indocumentados. Grupos e organizações que defendem os direitos dos imigrantes consideram que o número de indocumentados ultrapassa os 11 milhões.

Os advogados também mencionaramos atrasos que afetam os imigrantes durante seus processos imigratórios, “alguns deles de até anos”, e o perigoso aumento no número de traficantes de pessoas, devido à falta de vias legais para a imigração.

“Os trâmites dos casos em atraso alcançaram uma proporção crítica”, disse Judith Glub, porta-voz da AILA em Washington. O serviço de imigração também desperdiça recursos revisando assuntos já resolvidos e hostilizando solicitantes [de vistos] honestos com petições para documentos não relacionados com sua elegibilidade”, acrescentou.

A AILA estima que, se o Congresso levar em conta as recomendações e aprovar uma reforma, “resgatará da clandestinidade milhões de indocumentados” e permitirá que o governo em Washington conte com um registro atualizado e confiável dos imigrantes que trabalham no país.


O que pedem os advogados
A associação pede ao Congresso americano que se ocupe do problema imigratório, “porque a situação atual é inaceitável”.

As mudanças sugeridas são:

1. Reforma Integral – Mudanças que compatibilizem a segurança com o fluxo contínuo de pessoas e mercadorias. Reformas que permitam a reunificação familiar. Normas que facilitem aos trabalhadores preencherem sem contratempos as vagas atualmente disponíveis no campo e na indústria. Encurtar o tempo de espera nos processos imigratórios. Tudo respaldado por recuros financeiros adequados.

2. Segurança – Uma reforma que legalize os trabalhadores que já estejam no país. Que ajude a reunificar as famílias dos imigrantes que já estão nos EUA.

3. Ajuste mereceido de status – Para todos os trabalhadores indocumentados que passam anos no país pagando seus impostos. Os elegíveis deverão poder entrar e sair dos EUA sem perder seus direitos.

4. Vistos temporários de trabalho – Criar um programa para trabalhadores temporários que facilite a união familiar e garanta direitos trabalhistas. A AILA também pode incluir um caminho para a residência permanente.

5. Caminhos para a cidadania – Por fim aos longos atrasos nos trâmites imigratórios. Rduzir os obstáculos burocráticos no serviço de imigração. Planificar a imigração futura no país.

6. Criar fundos financeiros – Pressupostos para uma reforma integral na lei de imigração